quarta-feira, 11 de março de 2009

Sporting Clube de Alvalade

As ondas de choque do naufrágio sportinguista em Munique, naquela que foi a pior prestação de sempre de equipas portuguesas em provas da UEFA (um resultado que a “A Bola” sintetizou magnificamente), estão longe do fim.

Eduardo Barroso, o médico-cirurgião/comentador da TVI, ilustre sportinguista, exprimia assim o seu “luto”: “O Sporting deixou de ser considerado um dos grandes do futebol português”. A lucidez e a racionalidade de Eduardo Barroso obriga a reflectir.

O Sporting, na verdade, já deixou há muito de ser considerado um grande e só não caminha a passos largos para a sua belenensização porque ainda há da parte de alguma comunicação social (principalmente o Record) a ideia de que o clube do bairro de Alvalade representa mais do que uma engraçada minoria de Lisboa.

O Sporting é o Bloco de Esquerda do futebol português. São poucos, são patuscos, mas julgam-se muitos e até comem caviar e bebem champanhe.

O que se passou em Munique, naquele massacre futebolístico imposto pelo Bayern, é a imagem do Sporting actual: sem liderança directiva nem técnica, sem alma, sem identidade, sem estratégia.

A bipolarização do futebol português entre Benfica e FC Porto atirou o Sporting para um canto, de onde não vislumbra saída.

O Sporting não conta. Nos grandes fóruns de debate nas TV´s e nas rádios, destinam-lhe residuais minutos.

Filipe Soares Franco é a negação de um líder. Embora, naquele jeito desengonçado, tenha agitado consciências. O Sporting não tem militância, disse Soares Franco, e depois anunciou que se ia embora.

Paulo Bento afinou pelo mesmo diapasão. O técnico leonino queixou-se de que a equipa não tinha o mesmo apoio dos adeptos que tinha o Benfica.

Verdades duras como punhais. A questão, no entanto, é mais funda e mais grave. Falta um desígnio ao Sporting e, hoje, ser sportinguista é quase visto como característica que suscita alguma curiosidade e muitos sorrisos.

Nos últimos anos, o Sporting tem tido lideranças fracas e sem carisma, que não estimulam nem motivam a massa associativa e os adeptos. José Roquete, Dias da Cunha e Soares Franco, não despertaram nem despertam paixões, falta-lhes alma, mística.

Quando o Sporting se alheia dos principais combates que neste momento agitam o futebol português, principalmente aquele que é apelidado de Apito Dourado e Apito Final, está a remeter-se para um papel secundário, irrelevante (deve-se, neste caso, sublinhar a liderança pela verdade desportiva de Dias da Cunha, o que não foi prosseguido por Soares Franco).

Quando o Sporting se deixa envolver numa aliança espúria com o FC Porto, fazendo o papel de idiota útil, está a envergonhar mais os sportinguistas que, se calhar, os 7-1 de Munique, mas é também por isso que o clube hoje não tem rumo.

O Sporting de Munique foi apenas a face cómica e ridícula de um clube que já foi de Peyroteo, de Yazade, de João Rocha, mas que não passa da caricatura grotesca do aristocrata falido, cujas pratas se transformaram em pechisbeque.

10 comentários:

  1. Parabéns!! Grande post que resume aquilo que tenho dito do SCP actual e para onde caminha. Dentro de pouco tempo teremos um SCP a lutar simplesmente pela UEFA. A não ser que algo mude de forma radical.

    Abraço!!

    http://universobenfiquista.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Parabéns pelo excelente artigo , mas só queria acrescentar um pequeno reparo ,a partir de agora a bebida deles é Seven-Um.
    Benfica para sempre.

    ResponderEliminar
  3. Apesar dos 7-1 de Munique, o Record continua vosso!
    Grandes em tudo!

    ResponderEliminar
  4. Enfim, o Benfica que leva 5 do Olympiacos eh que bom...

    ResponderEliminar
  5. PF, olhe que quem vai a caminho da "Belenensização" pode muito bem ser o seu clube.

    Senão repare, nos últimos 15 anos ganhou 1 campeonato, com Estorilgates e arbitragens do mais forjado que pode haver à mistura.

    Diga-me lá então, se este é, ou não é, um registo à Belém?

    PS.: Desculpe lá a implicação, mas é que já não sei se o ache alarve, apenas imbecil, ou então um misto dos dois. O SCP nos últimos 15 anos ganhou mais do que uma vez o campeonato, foi finalista da Taça UEFA, ganhou umas taças de Portugal, etc. Está bem que 7-1 num jogo é muito mau, mas caramba, vocês levaram 7-0 do Celta de Vigo (quem é o nosso amigo...?) e conseguiram já este ano a proeza de levarem 5 rebuçados duma equipa de terceira divisão europeia, a qual foi eliminada pelo St. Etienne, por chapa 5 também, que vegeta pelos últimos lugares do fortíssimo campeonato francês, portanto, tenha vergonha na cara e não goze quem nos últimos 15 anos ganhou bem mais do que o emblema do milhafre!

    ResponderEliminar
  6. escreveu-se talvez, a página mais negra da história do Sporting em competições europeias e até mesmo do futebol português, 12 a 1!!!, é demais para uns oitavos de final da Liga dos Campeões

    ResponderEliminar
  7. Madalena Verde12 março, 2009 16:11

    Caro, carissimo,
    a tua divagação fez-me rir, gargalhar!
    o Sporting passa - realmente - por uma crise. Mas não existêncial!
    Uma crise que, como bem dizes, tem dois responsáveis: Soares Franco e Paulo Bento.
    O primeiro, confesso, surpreendeu-me... pela negativa.
    Já o segundo, há muito que espero pela sua partida... já ninguém o aguenta, muito menos os sportinguistas...
    Mas o que realmente me fez rir foi esta critica de "falta de mística, de alma" ter vindo de... um benfiquista...
    Na próxima dissertação aconselho-te a olhar para os 'corações vermelhos'... Quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras...

    ResponderEliminar
  8. caiu a pique, paciência ..Mas infelizmente as coisas mudaram e estes jacarés multiplicaram-se ,agora bebam do mesmo veneno ..

    ResponderEliminar
  9. E eles não sabiam disso? "o que estava acontecendo? ouvi uns ruídos estranhos."
    que pena,não cairem de maduros,estes largatos do wc do lumiar!!

    ResponderEliminar
  10. Assino por baixo!

    Parabens pelo post!

    Pedro G.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...