segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Quem tem medo de Virgínia Wolf?

Quem tem medo de Virginia Wolf? Este é o nome de um clássico do cinema norte-americano de 1966, que ganhou um Óscar e tinha um elenco de luxo, com Elizabeth Taylor e Richard Burton.
Adaptado ao futebol português, podíamos perguntar: quem tem medo da verdade desportiva? Os jogos do fim de semana dissiparam todas as dúvidas, se é que as havia… No estádio do Dragão, um FC Porto órfão de liderança, tanto na tribuna como no banco, precisou do “apito dourado” de Elmano Santos para chegar á vitória.
Um penálti falso como Judas, foi a única forma dos azuis chegarem ao golo. Não contente com este “equívoco”, o madeirense Elmano ainda teve arte e engenho para fechar os olhos a uma carga de Farías sobre o central vila-condense, aquando da marcação do segundo golo – o do 2-1, a 3 minutos do fim.
Um caso clínico este Elmano Santos. No Belenenses – Benfica, no Restelo, poucas jornadas atrás, não viu 3 penáltis contra o Belenenses – um sobre Yebda e dois sobre Suazo. Ontem, viu o que não era.
Como alterar este estado de coisas no futebol português? Simples: introduzindo as novas tecnologias. O Presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, foi o primeiro dos 3 grandes a dar este passo, juntando-se ao Sporting de Braga, e dando uma visibilidade acrescida a esta iniciativa.
Com a coragem deste passo, nada ficará como dantes no futebol português. Quem não deve não teme. Sintomático que até ao momento, nem Pinto da Costa nem Soares Franco ousaram comentar esta decisão do Sport Lisboa e Benfica.
Quem tem medo da verdade desportiva? Simples: quem quer manter o “sistema” tal como está. Soares Franco não é mais do que uma marioneta nas mãos do presidente do FC Porto e é de lamentar que o presidente de um clube com a importância do Sporting não tenha voz própria, nem capacidade de decisão – mas isso cabe aos sportinguistas resolverem.
Doa a quem doer, a verdade desportiva tem regressar em força aos relvados portugueses. Com as novas tecnologias, com árbitros estrangeiros, seja lá como for. O que não é possível é continuar esta saga dos Elmanos, que se junta aos Calheiros, aos Costas, ao Martins dos Santos. “Ou o futebol acaba com “isto”, ou “isto” acaba com o futebol” – Nuno Farinha, director-adjunto do Record. Basta de “apitos dourados”! Viva o futebol.

6 comentários:

  1. Caros Amigos

    Com o crescimento, que temos tido nos últimos meses no SL Benfica PlanetaPortugal torna-se necessário fazer um reforço significativo da nossa equipa de Moderadores.

    Assim abrimos a partir de hoje um concurso para Moderadores para o SL Benfica PlanetaPortugal.

    Requisitos:

    * Ser Benfiquista
    * Bom senso
    * Saber se expressar de forma clara e objectiva
    * Disponibilidade regular

    Preferência:

    * Mais que 16 anos
    * Mais de 3 meses de fórum e uma boa conduta

    Responsabilidade:

    * Moderação do Fórum
    * Participação nos conteúdos do Portal

    Vamos adicionar à equipa 5 Moderadores.

    Para se candidatar a Moderador do SL Benfica PlanetaPortugal deverá registar-se e enviar uma mensagem para o Moderador dizendo a sua idade e disponibilidade.

    Mais uma vez agradecemos o apoio que todos os nossos Companheiros de tantos Blogues do Benfica nos têm dado.

    ResponderEliminar
  2. Nada disso, o verdadeiro clássico é este video que merecia um óscar:

    http://www.youtube.com/watch?v=yQFjW2wgCnM

    ResponderEliminar
  3. Uma segunda-feira eu vou ter contigo à S da Hora, ao Porto Canal e vais-me explicar isso direitinho.

    ResponderEliminar
  4. E este gajo é benfiquista?

    Não, é um assalariado do Record.
    Eh, e porém não fala de um golo entrado na baliza do R Ave, que se prejudicasse os de Lisboa muita tinta já teria corrido da primeira página à última dessa voz do regime, como da capital dos despeitados.

    ResponderEliminar
  5. Já agora, aqui fica o texto da Leonor Pinhão:

    Reparem nos nomes dos árbitros intervenientes e aqueles que se preparam para ir apitar o derby (ao que chega a pouca vergonha neste país):

    DOIS fanáticos benfiquistas, um pró- Trapattoni, outro anti-Trapattoni, como adiante se verá,mas ambos pró-Benfica, discutiam amigavelmente as incidências da última jornada da Super Liga, e não só. Sobre a mesa do café onde se encontravam lá estava exposta a última página de «A Bola» de ontem. No canto superior esquerdo, a lista dos árbitros nomeados para o próximo fim-desemana não lhes deixava dúvidas...
    — Isto é o estertor do regime!
    — É o regresso dos Costas!
    — Este Luís Guilherme tem cá uma lata...
    — Mandar-nos o António Costa para Vila do Conde. Ainda me lembro da arbitragem dele num Rio Ave-Porto que não me sai da memória...
    — Eu lembro-me dos protestos do Carlos Brito e dos dirigentes do Rio Ave, foi um verdadeiro escândalo!
    — Agora vai lá voltarparaprovar quenãotemnadacontraoRioAve...
    — Não sejas tão básico assim. Até pode ser que faça uma arbitragem decente...
    — Vinha mesmo a calhar. Lembras- te daquele penalty sobre o Nuno Gomes que ele nãomarcou no União de Leiria-Benfica da época passada?
    — E do golo anulado ao nosso Kandaurov nas Antas?
    — E do golo anulado ao João Tomás naquele Vitória de Guimarães- FC Porto?
    — Olha, se ganharmos em Vila do Conde somos campeões.
    — Já dizias a mesma coisa na semana passada, só que era «se ganharmos ao Marítimo».
    — E tu dizias o mesmo há quinze dias, só que era «se ganharmos em Setúbal».
    — E o que me dizes à nomeação do Paulo Costa para o Boavista- FC Porto?
    — Mais um Costa.
    — E o que pensas do penalty feito por Jorge Costa no jogo com o Gil Vicente?
    — Outro Costa.
    — De facto, o Olegário Benquerença tem feito uma época de uma coerência notável.
    — Só à conta das suas decisões, o Porto temmais 5 pontos do que devia ter nesta SuperLiga.
    — E nós é que estamos a ser levados ao colo...
    — Ainda no domingo, com o Marítimo, foi anulado um golo limpo ao Nuno Gomes
    — Este Benquerença, na Luz, não considerou o golo de Petit e ainda fez vista grossa a um penalty claro sobre o Karradas.
    — Nas Antas...
    — No Dragão...
    — Ou isso, conseguiu não ver que o Jorge Costa jogou a bola com a mão. Era o empate para o Gil Vicente. E com o jogo empatado quem sabe o que poderia ter acontecido...
    — Mas, ao mesmo tempo, deu gozo ouvir a euforia dos comentadores da televisão por o Porto ter conseguido quebrar o enguiço e ganhar em casa.
    — Ao que isto chegou...
    — E o que me dizes da actuação do Lucílio Baptista no Boavista- Sporting.
    — Acho que os dirigentes, os jogadores e os técnicos do Boavista têm todas as razões para protestar.
    — Mas bater era escusado...
    — Tu não sabes quem começou, pois não?
    — Cheira-me que foi o Sá Pinto...
    — Tivesse o Sá Pinto enveredado pelo boxe em vez do futebol e quem sabe se Portugal não teria hoje um campeão olímpico da nobre arte de lutar...
    — Quanto ao Lucílio Baptista no Bessa, bem, foi no mínimo muito anticaseiro...
    — Lembro-me de uma arbitragem dele em que foi, no mínimo, muito caseiro... aquele Sporting- Benfica emque passou o jogo todo amarcar livres contra nós para ver se o André Cruz acertava...
    — É verdade, o Sporting precisava de ganhar para ser campeão e nós íamos lá fazer de cabeçudos.
    — E ainda perdoou um penalty do Toñito sobre o Nuno Gomes...
    — E marcou tantos livres, tantos livres contra o Benfica que no último minuto, para compensar, lá marcou um livre de muito longe contra o Sporting...
    — Ah grande Sabry! — Ah grande Sabry!


    BENFICA, RUMO AO TÍTULO CONTRA A ESCUMALHA DO FUTEBOL PORTUGUÊS!!!

    QUE NINGUÉM DURMA ESTES DIAS, A GUERRA ESTÁ AÍ!!!

    ABRAM A PESTANA E SOLTEM AS PALAVRAS...


    Pedro G.

    ResponderEliminar
  6. O relatório do observador do árbitro Pedro Proença no jogo FC Porto-Benfica, é por si só motivo suficiente para o Benfica não comparecer à final da Taça da Liga. E a Liga que se lixe, pois a Liga anda a pagar a observadores que não conseguem ver

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...