domingo, 20 de maio de 2007

A Taça da Liga morreu

Luís Filipe Vieira marcou, mais uma vez, a agenda político-desportiva do futebol português. Na inauguração de mais uma Casa do Benfica, desta vez em Vila Meã, o Presidente do Sport Lisboa e Benfica afirmou que o clube encarnado não participa na Taça da Liga enquanto a instituição que lidera o futebol português não merecer credibilidade
A Taça da Liga, recorde-se, é uma prova “inventada” por Hermínio Loureiro, presidente da Liga, supostamente para dar mais receitas aos depauperados cofres dos clubes portugueses.
Não vamos reflectir agora sobre se o modelo desta competição tem pernas para andar, ou se o já de si carregado calendário futebolístico comporta mais jogos, o que se sublinha é o óbvio: sem o Benfica, bem pode Hermínio Loureiro meter a viola no saco e ir pregar para outra freguesia
Sabe-o bem, também, Luís Filipe Vieira. O Benfica é a principal atracção de qualquer competição e máximo gerador de receitas de bilheteira e televisivas. Sem o Glorioso, a prometida chuva de euros passa a chuva ácida.
Raras vezes soube o Benfica fazer valer este seu incontornável trunfo. Pelo contrário, sempre apareceu resignado aos “diktats” de outros, na Liga, na Federação, nas Associações. Sofremos humilhações à custa de anos sucessivos de lideranças fracas, incompetentes, subservientes. Parece agora que os ventos da História estão a mudar.
Às vezes, o simbolismo de algumas atitudes é meio caminho andado para passar mensagens claras e contundentes. Há muitos anos, no início do consulado de Pinto da Costa à frente do FC do Porto, o então e ainda líder dos portistas anunciava grandiloquente que não deixava os jogadores do Porto jogar pela Selecção um jogo particular a realizar contra a Espanha em Vigo. Não me recordo agora do que estava em causa, mas o que importa é assinalar que este foi o primeiro episódio de uma série de imposições de Pinto da Costa aos poderes fácticos do futebol português, nem que para tal tivesse de prejudicar a Selecção Nacional. Tomou uma posição de força e todos cederam aos seus caprichos. Desde aí, a história é bem conhecida e é uma história triste.
Não queremos ver Luís Filipe Vieira imitar Pinto da Costa. Recordamos este episódio porque ele teve muito de simbólico para o posterior domínio do FC do Porto no futebol português.
Queremos um Benfica que se bata pelas causas justas e que reivindique o respeito de todos pela sua importância e dimensão. Por isso, estamos com Vieira nesta recusa em participar na Taça da Liga, cuja morte já está anunciada.
O Benfica não se pode aliar a um presidente da Liga que, como se constata em recentes conversas telefónicas tornadas públicas no âmbito do Processo “Apito Dourado”, tem uma relação de subserviência com Valentim Loureiro.
Hermínio Loureiro, que não confundo com a “máfia” que grassa no futebol português, não passa de um joguete nas mãos de quem quer a continuação dos bons velhos métodos do “sistema”.

5 comentários:

  1. Para o Benfica morreu a Taça da Liga, a Taça UEFA, o Campeonato e a Taça de Portugal... enfim, morreu tudo!!

    ResponderEliminar
  2. ze matamouros22 maio, 2007 23:50

    Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Já que não conseguem ganhar dentro das quatro linhas, os passarocos passaram ao ataque na baixa política.
    Quanto à futura Taça da Liga, o orelhas dos pneus recheados declarou que a sua equipa não vai a jogo. Toda a malta percebe que o que ele quer é mama, isto é, contrapartidas; e também marcar oposição à prova porque esta foi concebida pelo Sporting.
    A Taça da Liga tem um bom desenho: a existência de fases de grupos beneficia as melhores equipas, possibilitando a existência de até 4 jogos entre os grandes na competição, o que, obviamente, é portador de audiências e receitas.
    Mas, no fim de contas, claro que ele só se fosse burro é que não alinhava.

    ResponderEliminar
  4. Já que não conseguem ganhar dentro das quatro linhas, os passarocos passaram ao ataque na baixa política.
    Quanto à futura Taça da Liga, o orelhas dos pneus recheados declarou que a sua equipa não vai a jogo. Toda a malta percebe que o que ele quer é mama, isto é, contrapartidas; e também marcar oposição à prova porque esta foi concebida pelo Sporting.
    A Taça da Liga tem um bom desenho: a existência de fases de grupos beneficia as melhores equipas, possibilitando a existência de até 4 jogos entre os grandes na competição, o que, obviamente, é portador de audiências e receitas.
    Mas, no fim de contas, claro que ele só se fosse burro é que não alinhava.

    ResponderEliminar
  5. Já que não conseguem ganhar dentro das quatro linhas, os passarocos passaram ao ataque na baixa política.
    Quanto à futura Taça da Liga, o orelhas dos pneus recheados declarou que a sua equipa não vai a jogo. Toda a malta percebe que o que ele quer é mama, isto é, contrapartidas; e também marcar oposição à prova porque esta foi concebida pelo Sporting.
    A Taça da Liga tem um bom desenho: a existência de fases de grupos beneficia as melhores equipas, possibilitando a existência de até 4 jogos entre os grandes na competição, o que, obviamente, é portador de audiências e receitas.
    Mas, no fim de contas, claro que ele só se fosse burro é que não alinhava.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...