quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Azar, dizemos nós...

Um golão sul-americano para a Europa admirar. (Foto em www.slbenfica.pt)

O jogo de hoje à noite do Benfica contra o AC Milan, no Estádio da Luz, para a Liga dos Campeões (1-1) foi o espelho do que se passou em todos os outros jogos desta fase de grupos. Muito ataque, muitos remates à baliza, muitas oportunidades de golo, muitos golos falhados. Seguindo o douto critério de Miguel Sousa Tavares, tivemos muito, mas mesmo muito, azar. É certo que cada um vê do ângulo que quer, para uns sorte ou azar, para outros mérito ou demérito.
Assentemos, portanto, que ao evidente azar, algum demérito também existiu. Desde logo, demérito de Nuno Gomes, que em duas excelentes ocasiões para disparar à baliza, preferiu endossar a bola a um companheiro. De um ponta-de-lança exige-se mais confiança, mais personalidade e um “killer instinct” que Nuno Gomes notoriamente não tem. Sem desprimor para a sua abnegada e esforçada exibição, sozinho na frente até sair a 15 minutos do fim.
Demérito também para Óscar Cardozo, que entrou a substituir Nuno Gomes. O paraguaio demora a adaptar-se e a sua entrada nada veio acrescentar. Perto do fim, não segurou um passe de morte de Rui Costa que o colocaria cara a cara com Dida, o guarda-redes do AC Milan. Além do mais, o “fácies” de Cardozo desmoraliza qualquer um, mas vamos acreditar que guardado está o melhor bocado do paraguaio, para sábado.
Dir-me-ão, então o Benfica faz uma exibição de encher o olho, coloca o AC Milan, campeão europeu em título e considerada a melhor equipa do Mundo, lá trás durante a maior parte da partida e só falas em demérito? Calma, insisto que foi muito azar (espero que o MST não vá ler isto). O mérito vai todinho para Maxi Pereira, um Super Maxi, não só por causa do golão que marcou mas também pelo jogão que fez. Depois da exibição pela Selecção do Uruguai frente ao Brasil (também Christian Rodriguez se exibiu a alto nível), Maxi voltou a mostrar credenciais.
Mérito ainda para Petit, um jogador que enche qualquer campo e para quem os elogios são já um lugar comum, e para Luís Filipe, a melhor exibição ao serviço do Benfica – esperemos que não perca a veia. Muito bem também David Luiz e Katsouranis. Menos bem Rui Costa, muito tapado, e Luisão, algo lento.
Camacho talvez pudesse ter sido mais ousado na recta final, se mantivesse Nuno Gomes e Óscar Cardozo juntos no ataque. Di Maria foi um desastre. O argentino é muito jovem mas tem de começar a aprender que o futebol de alta competição na Europa não se compadece com “brincas na areia”. Adu podia ter entrado muito mais cedo. “Se” e “talvez” são palavras tão inócuas como “sorte” e “azar”. Servem apenas quando não temos argumentos válidos. O que é certo é que ficamos de fora da próxima fase da Liga dos Campeões, mas podemos ainda ir à Taça UEFA, se ganharmos na última jornada ao Shaktar Donetz, na Ucrânia. Vamos acreditar que vai acontecer. Basta ter, mais uma vez, o coração e a raça que tivemos hoje – imagem de marca – e menos azar…

OBS: Em Anfield Road, o Liverpool esmagou o FC do Porto por 4-1. É o que tem jogar contra equipas que vestem de vermelho…

2 comentários:

  1. José Casimiro de Pina29 novembro, 2007 10:19

    Concordo com quase tudo o que foi escrito. Digo "quase", porque, contrariamente ao que disse, aquele passe do Rui Costa não foi de morte, para ficar cara a cara com Dida, o Maestro tinha de fazer o passe para a frente, nunca para trás como fez. Eu bem sei que ele está habituado ao estilo do Nuno, que é de costas para a baliza mas o Rui tem de saber que os pontas de lança jogam de cara para a baliza.
    Porque será que Adu entra sempre depois de Di Maria? Sabendo nós que Adu já marcou pelo menos 3 vezes e Di Maria ainda ñ o fez uma única vez? Ah, concordo plenamente com a observação que fez do Rui Costa, e eu subscrevo. Aliás, digo mais, ficou provado, nestes dois jogos que contra o Milan o Rui Costa não rende aquilo que pode e deve(?)...Também achei a exibição do Luisão algo sofrível. É preciso coragem para dizer que David Luis é MELHOR que Luisão? O jovem, quando ñ está Katsouranis lá atrás é o nosso pronto socorro. Imaginem se jogassemos com uma dupla formada por Kats e David Luis?! Binya e Petit à frente...Mas é o Camacho que faz a equipa...pronto!

    ResponderEliminar
  2. Depois da pesada derrota com a equipa de vermelho, certamente que melhor sorte terão os azuis e brancos com uma formação de encarnado:)

    Isto porque são estes os mesmos encarnados que continuam a não conseguir vencer equipas de preto:)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...