sábado, 3 de novembro de 2007

Mais uma vitória "à Camacho"

Katsouranis, após o segundo golo do Benfica, hoje à noite contra o Paços Ferreira, na Mata Real (1-2). Foto em www.slbenfica.pt
Uma vitória sofrida e merecida, ante o Paços de Ferreira. Mais um golo ao cair do pano, quando já se entrava nos 5 minutos finais, faz pensar que Camacho é um “pé quente”, como dizem os brasileiros.
O jogo na Mata Real acontecia depois do FC do Porto ter empatado com o Belenenses, no Dragão, depois de uma arbitragem miserável do senhor Paulo Batista, que validou o golo do Porto precedido por um fora-de-jogo de Postiga do tamanho da Torre dos Clérigos e perdoou a expulsão a Quaresma, após uma entrada a “matar” sobre Ruben Amorim.
Em Paços de Ferreira, o Benfica podia ficar a 6 pontos de diferença e depender apenas de si para chegar ao primeiro lugar. Com Nuno Assis a titular, Camacho apostou em Katsouranis ao lado de Luisão e em Christian Rodriguez a cair na esquerda. Rui Costa, muito marcado, teve pouco jogo e o Benfica rematou pouco na primeira parte.
Apesar disso, a equipa conseguiu chegar à vantagem, depois de livre de Rui Costa e cabeçada perfeita de Rodriguez. O Paços, equipa aguerrida e compacta, principalmente em sua casa, não perdeu o norte e aproveitando a macieza de Assis a defender conseguiu chegar à igualdade.
Bruno Paixão, com uma arbitragem habilidosa, perdoou a expulsão a Renato Queirós, do Paços, e das inúmeras cargas cometidas pelos defesas centrais pacenses sobre Cardozo apenas marcou um livre.
Algumas dúvidas me assaltam. Porque é que o repórter da TVI destacado para a “flash interview” interrogou Camacho e Rui Costa sobre se a turbulência directiva no Benfica afectou a equipa? Porque é que questionou José Mota sobre se a falta sobre Léo, que deu o segundo golo ao Benfica, existiu? Porque é que o repórter da Sport TV ontem na “flash interview” no Dragão não confrontou Jesualdo Ferreira com a irregularidade do lance do golo? Porque é que não perguntou a Jorge Jesus como ele viu o golo do FC Porto? Porque é que Jorge Jesus não criticou o árbitro pela validação do golo do FC Porto? Que interesses defendem os repórteres e comentadores destacados para os jogos do 3 grandes? Porque é que há treinadores que quando jogam contra o Benfica fartam-se de criticar a arbitragem no final do jogo e contra o FC do Porto calam-se? O “sistema” também é isto…

2 comentários:

  1. O que é isso da "vitória à Camacho"? É uma vitória com a ajuda do árbitro?

    ResponderEliminar
  2. José Casimiro de Pina - Cabo Verde05 novembro, 2007 16:50

    Também já topou? Pensei que fosse só eu. Há bem pouco tempo comentei no seu blog a estatística de Miguel Sousa Tavares sobre os penalties apontados A FAVOR dos "grandes" e pronunciei sobre uma outra estatística, dos penalties apontados CONTRA os grandes, aí sim seria revelador. Também recentemente comentei sobre a transmissão dos jogos e a disponibilização das repetições. Em Setúbal um fora de jogo mal tirado a Coentrão nunca mais teve repetição. Quando Katsouranis apontou o golo na Mata Real, imediatamente tentou-se deslindar a existência da falta sobre Léo...Porque será???

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...